nem na metade… [Maré de Azar]

E estreia mais uma seção no espinafrando!

O nem na metade… é uma homenagem ao filho do espinafrando, o espinafrinho. Como o tempo anda escasso, essa sessão tratará de obras que o espinafrando teve que largar antes de chegar ao fim (às vezes, antes de chegar à metade). São primeiras impressões, que não necessariamente refletem a opinião definitiva sobre o objeto analisado. Alguns terão repeteco quando forem completados, outros ficarão pelo meio do caminho. Enjoy!

Filme: Maré de Azar

Ou ‘Extract’ no original. É o tipo de filme que passaria batido pra qualquer um, ou seja, você provavelmente não ficaria ansioso ou se desdobraria para vê-lo.

Porém, mas, todavia, entretanto… basta uma espiada no elenco (Jason Bateman, Mila Kunis, Ben Affleck, Kristen Wiig, J.K. Simmons) e no diretor Mike Judge e a coisa muda um pouco de figura.

Extract

Pra quem não ligou os pontinhos: Mike Judge é desde sempre a mente ácida por trás de Beavis & Butthead e King of the Hill. E também diretor de uma pérola mal polida chamada Idiocracy (que se não tem o acabamento perfeito, conceitualmente é brilhante).

Aparentemente, Maré de Azar é a história do dono de uma fábrica e inventor de um extrato de root beer que não evapora quando assado (?!?). Se isso pareceu totalmente alienígena para você, não se sinta único. Ignore. Basta saber que é um produto de nicho revolucionário, sem concorrentes. Aliás, existe um equivalente em português para root beer? Que diabo é isso? Alguém?

Esse cara de classe média alta vive uma espécie de crise de meia idade, com um casamento que parece implodir e um trabalho que já não traz satisfação.

Por outro lado, tem a chance de mudar tudo ao receber uma proposta de compra do negócio, vinda de uma grande indústria. Que pode não vingar por causa de uma série improvável de acontecimentos que leva a um acidente com um de seus funcionários mais estúpidos (ele perde uma bola e há o risco de um processo milionário contra a empresa).

Ainda na trama, temos o vizinho chato de galochas, a linda trambiqueira que tenta se aproveitar do acidente com o desbolado pra lucrar algum, o barman amigo que droga o protagonista com tranquilizante de cavalo sem querer e sugere a contratação de um gigolô para testar a frigidez da esposa e um advogado fanfarrão vivido por ninguém menos que Gene Simmons do Kiss.

Gene Simmons

 

chamou a atenção

★ Um Ben Afleck barbudo irreconhecível. E bem no papel do barman stoner. O cara nasceu pra ser ator coadjuvante.

★ Mila Kunis como a trambiqueira cleptomaníaca. Por ser a Mila Kunis. We like her.

Maré de Azar

★ Um chicano chamado Hector, recém-contratado na fábrica, junto com a personagem da adorável russa-americana aí de cima. Tem cara de paspalho, sofre preconceito de todos os outros empregados, é solenemente ignorado pelos chefes e parece que terá alguma importância misteriosa na trama a seguir. Mas posso estar enganado e é só um caso de crítica social. Vai saber.

★Jason Bateman, sempre simpático como protagonista. O mesmo vale pro eterno J. J. Jamenson, J. K. Simmons.

★ O simples fato de ter dois Simmons tão díspares num mesmo filme (J. K. e Gene).

★ Diálogos rápidos e rasteiros.

VEREDITO: pareceu uma interessante crônica de costumes. O espinafrando quer ver o final.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s