Mudinhas de Espinafre [25.01.13]

Mudinhas de Espinafre são pílulas pop, comentários (nem sempre) curtos e sem profundidade sobre coisas bacanas que você deveria ver, ouvir, ler. Ou não.

séries

Girls e House of Lies – 2ª temporada

No último domingo, estrearam na HBO as novas temporadas de duas das minhas séries atuais favoritas.

Depois dos finais catárticos, ambas começaram um pouco mornas (daí a resenha conjunta).

Em Girls, a garota-palíndromo Hannah ressurge em fase alto-astral, namorando o Troy de Community, vivendo alegre com seu roommate gay e bancando Madre Teresa com o atropelado Adam, seu ex-que-ainda-não-sabe-que-é-ex.

Enquanto isso, Marnie prossegue em seu processo acelerado de hannihzação perdendo o emprego, encarando o ex-namorado e levando lição de moral pós-transa-interrompida.

Shoshanna continua shoshannando, agora em crise por ter perdido a virgindade. E Jessa ganha só uma ponta no final, voltando da lua-de-mel relâmpago.

Em House of Lies, Marty Kaan e Jeannie enfrentam as consequências pós-festa da fusão (que não aconteceu) entre o banco e a consultoria, com direito a amnésia alcoólica, promoção anti-ação trabalhista, nova chefia e um novo cliente que ninguém faz ideia de quem seja. Sem contar a mudança drástica de caráter da ex-esposa psicótica.

A se lamentar, o fim do recurso narrativo em que Marty congela a cena para conversar com o telespectador. Esperemos que seja algo apenas pontual.

Em suma, é hora de respirar e iniciar a construção de novos arcos em Girls e House of Lies. A única certeza é que essa é a dobradinha perfeita para encerrar o domingo.

filme

Procurando Encrenca

Ben Stiller numa comédia fora da curva. Confesso que só assisti graças à dica do Tiago Lopes, que escreve bem (embora discordemos com frequência) no blog da VIP —aliás, vale a pena ler o artigo completo em que ele cita o filme.

Procurando Encrenca é o segundo filme de David O. Russell, mesmo diretor de O Lado Bom da Vida (que amealhou 8 indicações ao Oscar desse ano) e O Vencedor (que venceu 2 Oscars no ano passado). Mas nada disso importa, porque não vi nenhum dos dois ainda. No entanto, eu já assisti Huckabees – A Vida é uma Comédia, seu 4º filme. E isso importa! Porque mesmo que eu não tenha ligado o nome do diretor a todos esses filmes, Huckabees é cinema inventivo, que me chamou a atenção na época. Então, agora que todos já acrescentamos a filmografia de O. Russell na lista de coisas que devemos assistir num futuro próximo, vamos falar de Procurando Encrenca.

Ben Stiller faz o papel de um neurótico que foi adotado por uma típica família judia de acordo com a ficção americana (mãe controladora, pai histérico). Já adulto e recém-pai, decide conhecer os pais biológicos. E o que se sucede é um road movie absurdo, daqueles em que tudo dá errado. Tipo um Férias Frustradas, mas menos histriônico e mais triste.

Acompanham Stiller na jornada as sempre ótimas Patricia Arquette (como a esposa) e Téa Leoni (como a ex-stripper e atual psicóloga do serviço social que faz —ou tenta fazer— a ponte entre adotado e pais biológicos).

O final é matador.

música

Keep Breathing – The Durutti Column

(clique na capa do álbum para ir à iTunes Store)

Banda com anos de estrada e prolífica, completamente desconhecida pra mim. Muito prazer, Durutti Column.

Conheci através desse artigo espetacular do Álvaro Pereira Jr., comparando as trajetórias de Vini Reilly (a cabeça por trás do Durutti) e Trent Reznor (o sr. Nine Inch Nails). Uma história tão maluca que deveria ser ficção.

Com as devidas apresentações feitas, fui atrás do único dentre os 28 álbuns (ou mais, perdi a conta) que Vini Reilly não considera um “fracasso musical”.

Keep Breathing é puro clima pra todo lado. Cada faixa é uma surpresa. Algumas parecem um Happy Mondays melancólico, outras uma mistura de flamenco e canto lírico com mantra religioso. Tem ainda umas que evocam The Cure ou solos acústicos de Jimmy Page, mas de um jeito completamente diferente. E juro que achei uma parecida com bossa nova (!).

Acima de tudo, é fácil de reconhecer música extremamente bem feita. E como diria meu finado pai, “música é aquilo que soa bem aos ouvidos. O resto é barulho.”

Of Monsters and Men

Pra encerrar, mais um clipe mágico do Of Monsters and Men, para a bela King and Lionheart.

 

2 comments

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s